DIFERENÇA ENTRE DESIGN DE INTERIORES E ARQUITETO

DIFERENÇA ENTRE DESIGN DE INTERIORES E ARQUITETO

Muitos tem essa dúvida, de qual a diferença entre Design de Interiores e Arquiteto. Ambos tem muito em comum, mas existe suas diferenças Você que esta em duvida de o que fazer, ou com alguma dúvida entre Design de interiores ou Arquitetura, este post vai ajudar muito. Então vamos lá?!

A DIFERENÇA: 

É comum confundir decorador, designer de interiores com o arquiteto. A confusão leva a alguns problemas graves relacionados à atribuição legal e responsabilidade civil. É comum ver decoradores ou designers de interiores proporem alterações em paredes, aberturas, ampliações ou demolições. Isto é ilegal. Decoradores e designers não dispõe do diploma legal que os habilitem interferir na obra física. Se houver um acidente, o cliente não terá a quem responsabilizar. Surge a pergunta: Qual a diferença entre o arquiteto, o design de interiores e o decorador? É comum contratar serviços de decoração para mudar as características físicas da obra ou projeto. No entanto, há uma delimitação importante entre os profissionais, notadamente quanto à atribuição legal e responsabilidade técnica.

O decorador é aquele profissional formado (ou não) em um curso de curta duração ou é um autodidata. Suas atribuições são muito restritas, pois seu conhecimento sobre vários componentes de uma obra é nulo. Sua função restringe-se à escolha de acessórios, móveis ou cores sem que altere fisicamente a obra. Não pode interferir no ambiente nem mesmo no detalhamento de mobiliários cuja atribuição é do designer de interiores.

O designer de interiores, além do trabalho do decorador que vem ao final do projeto tem a função de elaborar o espaço coerentemente, seguindo normas técnicas de ergonomia, acústica, térmico e luminotécnica além de ser um profissional capaz de captar as reais necessidades dos clientes e concretiza-las através de projetos específicos. A reconstrução do espaço através da releitura do layout, da ampliação ou redução de espaços, dos efeitos cênicos e aplicações de tendências e novidades técnicas, do desenvolvimento de peças exclusivas. Porém seu trabalho restringe-se a ambientes internos, é o profissional habilitado para atuar em projetos de interiores, auxiliando o arquiteto a resolver os espaços da edificação de forma a atender melhor as necessidades do cliente, para complementar o fechamento da obra.

O arquiteto e sua formação se dão através dos cursos de arquitetura e urbanismo que tem duração de cinco anos, onde são abordados temas com, história da arte, história da arquitetura e do urbanismo, representação gráfica, informática, resistência dos materiais, construção, planejamento urbano, projeto de edificações, conforto ambiental, paisagismo, arquitetura de interiores, entre outros. A formação em um curso de arquitetura permite que atue em várias áreas como: estudo e planejamento de projetos, execução de desenho técnico, elaboração de orçamento, padronização, mensuração e controle de qualidade, execução de obra e serviços técnicos. Seu trabalho se inicia a partir do momento em que se escolhe o terreno para a construção, ou seja, a implantação de seu projeto; com parecer sobre localização, legislações idílicas e urbanas, aspectos ambientais e topográficos.

Fonte: http://novo.caupi.org.br/ – CAU PI

DESIGN DE INTERIORES

O QUE É?

O decorador ou atualmente mais conhecido como designer de interiores é o profissional que busca transformar um ambiente tornando-o funcional e agradável. Ele cuida da harmonia interna dos ambientes, combinando móveis com objetos de decoração, escolhendo luminárias, cores e materiais. O grande desafio deste profissional é decorar um ambiente respeitando os desejos, o perfil e a disponibilidade financeira do cliente.

QUAIS AS CARACTERÍSTICAS NECESSÁRIAS?

Para ser um bom designer de interiores é preciso ter conhecimentos sobre história da arte, psicologia ambiental e capacidade de entendimento para entender os estilos compatíveis com as personalidades das pessoas. Outras características desejáveis são: Sensibilidade Detalhismo Criatividade Ser observador Ter conhecimento sobre cores, texturas, materiais etc. Senso estético

QUAL A FORMAÇÃO NECESSÁRIA?

Esta é uma profissão que só poderá ser exercida por profissionais com diploma de nível superior em Design de Interiores, com duração de quatro anos, em média. Os dois primeiros anos são tomados por matérias como estética, história da arte e história do mobiliário. A partir do terceiro ano, fazem parte do curso aulas de projetos em composição de interiores e exteriores (decoração e jardinagem), de perspectiva, desenho artístico e desenho arquitetônico técnico. Cursos de atualização ou especializações também são extremamente importantes para destacar e aprimorar as técnicas do profissional.

PRINCIPAIS ATIVIDADES

Decoradores são profissionais que harmonizam estilos de móveis, orientam a compra de obras de arte e decoram residências e empresas. As atividades são: Desenvolver projetos Estudar em detalhes a área a ser criada ou reformulada Coordenar equipes de profissionais, como marceneiros, pintores e ELETRICISTAS Supervisionar o trabalho da equipe e cronograma da obra Montar orçamento Desenhar mobiliários que irão compor o espaço Escolher os adornos e REVESTIMENTOS DE PISOS, paredes e tetos

ÁREAS DE ATUAÇÃO E ESPECIALIDADES

Decoradores são profissionais que harmonizam estilos de móveis, orientam a compra de obras de arte e decoram residências e empresas. As atividades são: Desenvolver projetos Estudar em detalhes a área a ser criada ou reformulada Coordenar equipes de profissionais, como marceneiros, pintores e eletricistas Supervisionar o trabalho da equipe e cronograma da obra Montar orçamento Desenhar mobiliários que irão compor o espaço Escolher os adornos e revestimentos de pisos, paredes e tetos

MERCADO DE TRABALHO

Mercado de trabalho Através da valorização da aparência das casas e o barateamento dos projetos de decoração, fizeram com que o trabalho do designer de interiores expandisse entre a classe média. Com isso, cresceram as oportunidades de trabalho. Na maioria das vezes esse designer trabalha como autônomo, mas pode atuar, também, como funcionário de empresas especializadas em ou com consultoria em lojas de móveis.

CURIOSIDADES

A história da decoração teve início na antiguidade. Os egípcios foram a primeira civilização a pintar seus interiores, há mais de três mil anos. Logo depois, vieram os chineses criando a arte de laquear. Um pouco mais próximo à nossa realidade, durante o século XV em Veneza, época em que a população pobre se desgarrava dos senhores feudais para construírem suas casas nas cidades, com pouco dinheiro e muita imaginação. Assim surgiram técnicas de pintura como o Estoque Veneziano, atualmente muito utilizado nos projetos de decoradores

Tocadacotia

Arquitetura

O QUE É?

Arquitetos têm como função projetar e organizar espaços internos e externos, segundo critérios de estética, conforto e funcionalidade. Quem segue esta profissão tem como objetivo ocupar os espaços disponíveis, levando em conta a disposição dos objetos, a incidência de luz e a ventilação. Faz projetos e coordena a construção ou a reforma de casas e edifícios residenciais ou comerciais, trabalhando ao lado de engenheiros.

QUAIS AS CARACTERÍSTICAS NECESSÁRIAS?

Para exercer a função de arquiteto é fundamental ter sensibilidade, criatividade, intuição e interesse pelas artes. Estar atualizado e de olho nas tendências artísticas ajuda na coerência dos trabalhos. Também é necessária capacidade de observação e análise, habilidade numérica, gosto de trabalho em equipe, meticulosidade e exatidão. Características desejáveis: atenção a detalhes capacidade de comunicação capacidade de negociação capacidade de ouvir sugestões e críticas capacidade de planejamento espírito inovador facilidade para matemática habilidade manual habilidade para o desenho perfeccionismo raciocínio espacial desenvolvido senso estético senso prático

QUAL A FORMAÇÃO NECESSÁRIA?

Para exercer a profissão de arquiteto deve-se prestar vestibular para graduação em um curso regular de arquitetura e urbanismo, com duração de 5 anos. No Brasil, para exercer a profissão, uma vez que esta é uma profissão regulamentada, é preciso obter o registro profissional no Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (CREA). Conhecimento de história da arte e uma cultura geral vasta são fundamentais para o sucesso do profissional. Atualmente, o conhecimento de recursos tecnológicos aliado ao conhecimento da arte é cada vez mais importante.

PRINCIPAIS ATIVIDADES

As atividades de arquitetos envolvem: debater objetivos, exigências e orçamento do projeto com os interessados; estudar a legislação referente ao uso do solo do local escolhido para a obra e acompanhar projetos de viabilidade técnica e econômica e de análise de impacto ambiental; reunir-se com clientes, grupos ou associações de moradores para captar as necessidades de cada um; visitar a área em que será feita a obra ou que vai receber tratamento paisagístico para examinar detalhes da construção ou da região, observando acidentes geográficos (barrancos e riachos), vegetação já existente, localização do terreno, presença de vento e níveis de insolação; reunir-se com órgãos públicos envolvidos; elaborar esboços e texto de apresentação da idéia para o cliente; elaborar projetos com plantas detalhadas, inclusive dos sistemas de ventilação, refrigeração de ar ou aquecimento, elétrico e hidráulico; especificar materiais a serem usados na obra; dar assistência ao cliente na negociação com fornecedores de materiais e contratação de executores da obra; visitar hortos e chácaras e fazer expedições para estudar espécies botânicas; acompanhar obras; gerenciar os vários projetos, tais como hidráulicos, elétricos, estruturais, ar-condicionado, telefonia, etc, para compatibilizá-los ao projeto arquitetônico. Desta forma, deve trabalhar em parceria com os engenheiros de cada área. ÁREAS DE ATUAÇÃO E ESPECIALIDADES Arquitetura de Interiores – Organização de espaços internos de construções, definindo os detalhes, as cores, o acabamento dos ambientes e os materiais de revestimento e iluminação. Essas atividades podem ser desempenhadas também em diversos locais como teatros, lojas, navios e estúdios de cinema e de televisão. Comunicação Visual – Elaboração da identidade visual de empresas, incluindo a criação de marcas, embalagens, vinhetas eletrônicas e capas de discos e livros. Graças aos recursos da computação gráfica, é uma área que está se desenvolvendo muito nos últimos anos. Desenho Industrial – Criação de móveis, utensílios domésticos, luminárias e outros objetos para serem produzidos em escala industrial. Conforto – É uma especialização da área de Arquitetura de Interiores na qual o arquiteto é responsável pelo planejamento das condições de acústica, temperatura, iluminação e ventilação de ambientes. Edificações e Construções – Projeto, construção e acompanhamento de todo tipo de edifícios, casas e indústrias, incluindo o controle de materiais e custos. Paisagismo e Ambiente – planejamento de espaços públicos, como parques e praças, ou em áreas particulares, como jardins residenciais. É uma profissão artística, mas fortemente apoiada em conhecimentos técnicos de desenho, botânica, agronomia e engenharia florestal. Luminotécnica e Instalação Elétrica – Elaborar projetos para iluminação de grandes espaços como shoppings centers, empresas, fachadas ou espaços pequenos que necessitam de diferencial luminotécnico. Pesquisa – Atividade desenvolvida principalmente nas universidades e leva ao surgimento de novas técnicas de edificação. A restauração de prédios de valor histórica é outra área importante do setor de pesquisa. Há também empresas especializadas em restauração e conservação, muito ligadas à órgão públicos, que além de pesquisa fazem também projetos. Urbanismo – Planejamento de cidades, incluindo as ruas, parques e bairros, e organização do plano diretor que irá orientar o seu crescimento. O urbanista trabalha ao lado de geógrafos e engenheiros no planejamento físico regional que envolve vários centros urbanos. Os urbanistas trabalham geralmente em órgãos públicos, de planejamento das cidades.

MERCADO DE TRABALHO

O arquiteto e urbanista encontra uma grande variedade de setores nos quais pode atuar. Conforme a legislação que regula a profissão, este profissional pode, entre outras atividades: projetar, construir e reformar edificações dos mais variados portes; trabalhar nas áreas de desenvolvimento e planejamento urbano, preservação e restauro de patrimônio histórico; atuar em arquitetura de interiores, exercer tarefas de consultoria, assessoria e de gerenciamento de obras; pode realizar vistorias, laudos, avaliações e pareceres e ainda dedicar-se ao ensino e à pesquisa. O arquiteto e urbanista tanto pode exercer a sua profissão como autônomo ou pode atuar em empresas privadas, especialmente as de arquitetura e de engenharia; como também estar vinculado a prefeituras, órgãos públicos, organizações não governamentais (ONGS) e instituições de ensino e pesquisa. Podendo atuar também nas áreas de design, projeto de produto entre outras. Pelo conjunto de áreas de atuação apresentadas, e que não são todas as que a legislação discrimina, pode-se concluir que o arquiteto e urbanista tem oportunidades de trabalho em um riquíssimo leque de caminhos profissionais. Atualmente, a área de decoração oferece as grandes oportunidades, principalmente para profissionais autônomos. Além disso, algumas lojas desse ramo costumam contratar arquitetos para orientar os clientes na escolha do produto e na utilização dele.

CURIOSIDADES

Edificada sob o cenário desconcertante dos cerrados, a capital federal – Brasília – contrasta com a aridez característica do centro-oeste brasileiro. A beleza de sua arquitetura com linhas leves e arrojadas, projetada por nada menos que Oscar Niemeyer, somada ao fato de ser o centro administrativo do país, são os primeiros fatores que a tornam atraente. Entretanto, quem chega à cidade com o intuito de conhecê-la se surpreende ao descobrir que Brasília também dispõe de cenários naturais incríveis e que apesar de ser “o cérebro das mais altas decisões nacionais” possui um perfil místico marcado basicamente pelo magnetismo de sua posição geográfica que é vista como um portal de energias positivas e pela profecia do “padre-santo”, São João Bosco, que em 30 de agosto de 1883 vislumbrou que no Brasil entre os paralelos 15º e 20º surgiria uma grande civilização “a Terra Prometida de onde emana o leite e o mel”. Foi exatamente na região profetizada pelo padre que se deu a construção de Brasília. Construção esta que aconteceu em tempo recorde – três anos e dez meses. O planejamento de Brasília é considerado por muitos especialistas como sendo perfeito. A cidade foi traçada sob dois eixos – um monumental e um residencial – que lhe conferem o formato de um avião ou de borboleta, como preferia chamar o urbanista Lúcio Costa que juntamente com Oscar Niemeyer desenvolveram o Plano Piloto de Brasília. O eixo residencial é dividido em Asa Norte e Sul. Já o outro eixo – o monumental – como o próprio nome já diz, abriga no lado leste os prédios públicos e palácios do Governo Federal; no centro, a rodoviária e a torre de televisão; e no lado oeste os prédios do governo do Distrito Federal. O Palácio do Congresso proporciona uma imagem que merece ser retratada. Nele, as duas conchas uma côncava – a do Senado Federal – e outra convexa – a da Câmara dos Deputados – simbolizam o poder e a relação de contrapesos implícita no sistema bicameral. Os blocos no formato da letra “h” têm 28 andares. No interior do prédio do Congresso Nacional encontra-se um vasto acervo cultural e paisagístico. Quem o visita também não pode deixar de passar pelos museus e é claro pelos plenários e salões ocupados pelos legisladores da nação.

Fonte:www.brasilprofissoes.com.br / Foto Capa: pointcursos.com.br

Espero que tenha esclarecido suas dúvidas. Deixe abaixo seu comentário!

base-para-assinatura-personalizada-_quero-dicas



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *